Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010
Comentário do Floro:
Tema muito interessante abordado pelo colega Ricardo Carvalho sobre nossa identidade.
Nos vestimos com diversos papéis em nosso dia-a-dia, por demandas diversas.
Alguns momentos esbarramos em dúvidas sobre nossa real identidade, sobre nossas representações perante nossos contatos, dos mais diversos.
A manutenção da coerencia entre nossos valores e nossos atos, serão nosso diferencial. São estas posturas que ficarão marcadas nas pessoas e instituições que convivemos.
Havendo esta coerência, pois mais diferentes que sejam os papéis que representamos, estaremos sendo vistos e lembrados pelos valores que assumimos como nossos.
Com esta coerência, estaremos alinhados com nossa forma de ser.

Vejam o artigo abaixo:


Entre Duas Vidas: dilemas de um executivo contemporâneo

Por Ricardo Carvalho, professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral

Com que roupa estou vestindo agora meu Eu? A dúvida se instala quando não sei mais quem sou entre meu Eu Corporativo e meu Eu Pessoal.…

Dominar o português aumenta a competitividade

Pessoal,
neste domingo tive a honra de contribuir para um artigo, muito bem escrito pela Sheila Vieira, do Correio Popular, sobre a relevância da escrita correta da nossa língua portuguesa.

Foi realçado que as empresas, estarão muito atentos às formas de expressão dos candidatos e dos profissionais, pois estes estarão representando a empresa, junto aos seus clientes e ao seu mercado.

Quanto mais elevado for o nível dos profissionais, maior será a exigência de uma correta expressão.

Veja a matéria na íntergra, clique aqui, e boa leitura!

Um abraço!

Floro

Coisas que mais irritam no trabalho

Pessoal,
Muito bom dia!

Recebi um torpedo indicando que as coisas que mais irritam no trabalho são:

Levar a culpa por outro; desccomprometimento; falsidade; traição e falta de reconhecimento.

Vocês concordam?

Ambientes de trabalho costumam, na grande maioria das vezes apresentarem-se muito competitivos e, vemos profissionais usarem das mais variadas formas de armas, para, em primeiro lugar, sobreviverem, depois tentarem o crescimento, às vezes à qualquer custo.

Funciona?

Em alguns momentos, sim. Funcionam.

No medio e longo prazo acredito não haver possibilidade de sustentação.

Os gestores (profissionais direcionados para que sua equipe cresça profissionalmente) mais experientes, tomam os cuidados e conhecem os profissionais de sua equipe com profundidade o suficiente para não serem "enganados" pelos profissionais que tentam usar estranhas armas para crescer no trabalho.

Os pontos mais importantes que fazem com que você decida se gosta ou não da empresa que você trabalha, são…

Insatisfação no trabalho.

Comentário do Floro:
Acompanhem a visão da Ássima Ferreira, conformando a necessidade de que nós possamos tomar as decisões qie possam nos levar para perto de nossas (escolhidas por nós mesmos) realizações.
Um dos pontos de grande importância está na nossa difinição clara de seus objetivos (longo prazo) e metas (curto prazo).
Experimente definir seus objetivos, trace suas metas e trabalhe para obter as competências que você precisa para ser reconhecido.
Faça seu projeto (http://www.floro.com.br/ - Projeto de vida e carreira) e veja como, depois de escrevermos nossos objetivos, podemos direcionar nossos recursos (tempo e dinheiro) com foco em nosso próprio crescimento.

Boa leitura!
Floro



Por Ássima Ferreira, professora da Fundação Dom Cabral


Você conhece alguém que está insatisfeito com o trabalho? Sabe aquelas pessoas que não encontram prazer na profissão, sentem-se infelizes, vêem apenas os aspectos negativos da vida, vão trabalhar todos os dias desanimadas ou acham a rotina da empre…

Carta aberta de Eliane Sinhasique para Renato Aragão, o Didi.

Pessoal,
Achei o comentário e a clareza da Sra. Eliane de uma felicidade incrível.
Nossoa impostos somem, evaporam e somos impelidos à ajudar a campanhas que suprem a falta dos investimentos nas áreas à que deveriam ser destinadas.
Em alguns momentos temos sim a sensação de sermos muquiranas, mas convenhamos, a utilização dos recursos públicos, gerados através dos impostos que continam sendo um dos mais altos do mundo, não conseguimos ver o retorno na aplicação de onde deveria ser aplicado.
Precisamos escolher melhor nossos governantes.

Vejam que texto sóbrio e claro!

Um abraço!

Floro




Querido Didi,



Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu Nome para colar nas correspondências).



Achei que as cartas não deveriam ser endereçadas à mim. Agora, novamente, você me escreve preocupa…