Pular para o conteúdo principal

Entendendo o design thinking aplicado à carreira profissional



Olá, vamos discutir agora as contribuições do Design Thinking na carreira profissional





A metodologia Design Thinking chegou e ganhou espaço consolidando-se pela estimulação do pensamento criativo, deixando de lado as formas tradicionais de pensamento, sendo eficazes para a solução de problemas comuns e também de problemas cada vez mais complexos, como os que encontramos em nossas carreiras profissionais, devido à crescente quantidade de influenciadores.

Forma copiada de como os profissionais do design (olhar como um todo, e resolver as partes, integrando-as) pensam nas soluções dos problemas e dos desafios que encontram. Utilizam-se de ferramentas de planejamento, busca pela seleção de ideias inovadoras e análise de viabilidades.

Metodologia aplicada constantemente nas empresas, o Design Thinking é bastante conhecido por ajudar a acelerar processos de inovação dentro das organizações e instituições, com foco nos colaboradores, incentivando a viabilidade das melhores decisões para atender às crescentes exigências do mercado, utilizando a empatia, de uma forma colaborativa e coletiva. 

Esta nova forma de pensar contribui na avaliação das possíveis alternativas, aplicadas à carreira profissional, de uma forma estruturada, avaliando o crescimento dentro da organização ou segmento de mercado que está ou em buscar novos desafios, considerando as inovações que vivenciamos, integradas aos objetivos maiores, identificados pelo planejamento da evolução da própria carreira profissional.

Design Thinking contribui na identificação do problema a ser resolvido, entendendo que outras formas criativas e consistentes, além das formas já estabelecidas e burocráticas, para a solução e atendimento às novas exigências do mercado.

Dentre as características exigidas pelo mercado, uma das principais congruências com o Design Thinking é o incentivo à colaboração no ambiente, para que os profissionais possam atender às exigências da multidisciplinaridade, multitarefas, além da habilidade de navegação em todos os níveis hierárquicos e nas áreas envolvidas nos projetos..

Esta estrutura pode contribuir quando profissionais decidem evoluir na jornada profissional (dentro ou fora da organização atual) e também quando precisam reestruturar uma volta ao mercado, enfatizando as competências desenvolvidas refletindo-as nos mecanismos de visibilidade, como CV, redes sociais e perfis de uma forma geral. 

Entendendo o conceito do duplo diamante, ferramenta utilizada pelos designers: mapeamento das 2 fases convergentes (definir e entregar) e das 2 fases divergentes (descobrir e desenvolver), trabalhadas alternadamente, na sequência:

1. Descobrir (fase divergente): Conforme Alvin Toffler, a pergunta certa é, geralmente, mais importante do que a resposta certa para a pergunta errada. 

Fase mais importante do projeto, onde se busca o entendimento profundo do problema a ser solucionado, buscando aprofundamento e consistência nos objetivos; 

Importante buscar solução além do óbvio; Percepção atenta aos detalhes e a previsão macro dos resultados.

Aplicação na carreira: Identificar as alternativas possíveis, com os desafios e o que podemos entregar nas funções que estamos buscando.

Colocar no papel as alternativas e avaliar os prós e os contras, enfatizando as inovações, as tendências de mercado e as competências necessárias. 


2. Definir (fase convergente): Augusto Cury afirma que os maiores problemas não estão nos obstáculos do caminho, mas na escolha da direção errada. 

Iniciamos a avaliação das alternativas buscando entender e desenvolver as viabilidades. As especulações criativas são registradas, fotografadas ou guardadas para aprofundar as avaliações. 

Refinar as ideias viáveis ou melhorar as outras ideias para torná-las viáveis, retirando de cena as inviáveis.

Neste momento busca-se definir uma, ou mais ideias a serem trabalhadas, encontrando as que melhor atende ao problema original do tem 1., para aprofundarmos as próximas especulações.

Aplicação na carreira: Depois de algumas revisões nos materiais, avaliando as alternativas, direcionar a decisão para a atividade ou função que traga e viabilize as suas realizações. 


3. Desenvolver (fase divergente): 

Ir muito mais fundo na validação e aperfeiçoamento dos resultados obtidos no tem 2. Vamos aprofundar os detalhes. Viabilidade e atendimento aos objetivos iniciais definidos no tem 1.

Neste momento é que vamos colocar mais recursos e buscar as melhores formas para que a solução seja viável no atendimento às expectativas demandadas pelos clientes (produtos ou serviços).

Aplicação na carreira: Trabalhar na obtenção as competências (CHAE - Conhecimentos, Habilidades, Atitudes e Entregas) para tornar-se elegível à função/atividade que busca.

Aprofundar o desenvolvimento através da inovação, das novas ferramentas e das  tendências de mercado.


4. Entregar (fase convergente): 

Chegamos à fase final do projeto, a entrega da solução final. Registro de todo o processo, detalhando os objetivos alcançados, e acompanhar buscando o feedback de atendimento às demandas iniciais dos clientes, para modificações visando melhor aderência às expectativas ou para ajustes ou revisões futuros.

Aplicação na carreira: Aproximação das oportunidades e articulações com os decisores das funções e atividades que você está buscando, mostrando seu potencial e como você poderá contribuir para o sucesso do negócio envolvido.

Ajustando as competências através dos feedbacks nas interações com os decisores. 


Os designers utilizam a ferramenta do duplo diamante, como uma forma de estruturar a solução, navegando várias vezes entre as fases divergentes e convergentes, quantas forem necessárias para que a solução possa surpreender, saindo do lugar comum para encantar seus clientes.

Aproveite!
Sucesso!
Utilize essa nova forma de pensar em seu próximo exercício de planejamento.
Floro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carreira interna x Carreira externa

Bom dia!
Espero que tudo esteja bem com vocês.

Primeiramente quero discutir um pouco a definição desses conceitos:

Carreira interna: Como você enxerga sua carreira. A carreira vista por você, de uma forma continuada, como você enxerga sua carreira através do seu retrovisor, como foi seu desenvolvimento e crescimento profissional; Agrega-se aqui suas expectativas de carreira para os próximos anos;

Carreira externa: Como a empresa enxerga você, enquanto você faz parte de seu quadro de funcionários; Esta forma de enxergar é momentânea e finita, enquanto fazemos parte da empresa;

Quando falamos em planejamento de carreira, minha visão está direcionada para pensarmos em como estamos evoluindo e onde queremos chegar em nossa trajetória, avaliando e enxergando do ponto de vista de nossa carreira interna.

É interessante que durante o tempo em que estejamos nas empresa, sob a avaliação e expectativa da empresa, possamos estar alinhados com essess objetivos. Isso passa pela incorporação dos obj…

Carreiras promissoras em 2018

5 carreiras promissoras em 2018 Quem quer boas carreiras em 2018 precisa de algo fundamental: ter curiosidade
Comentário Floro: Esta é mais visão interessante de profissões promissoras. Gosto destes estudos pois estamos tendo uma grande quantidade de novas profissões e áreas que estão sendo cada vez mais demandadas. Acho que sempre vale a pena olhar as carreiras promissoras através de diferentes pontos de vista. Aproveitem!   Redação, Administradores.com, 4 de janeiro de 2018, às 13h01

Habilidades e competências que serão tendências em 2030

Olá, Tudo bem com você? Muito bom ter você por aqui no Blogdofloro!
Achei muito interessante a abordagem do artigo abaixo, pois ao invés de colocar o foco nas funções ou nas inovações futuras, que não temos a menor chance de prever com certeza, devido à velocidade em que as evoluções tecnológicas acontecem atualmente e, aparentemente, serão renovadas ainda com mais rapidez nas próximas décadas, o foco da pesquisa e análise está nas habilidades que precisaremos desenvolver para estarmos adequados às demandas, cada vez mais exigentes dos clientes e do mercado.
Coloco meus comentário, na sequencia e interagindo com o artigo, em azul.

Comentário Floro: Também não me preocupo com a data futura em que o artigo se refere, entendo ser alguns anos para frente e, tenho certeza, poderemos sentir os reflexoes muito antes dos 2030.
Aproveitem o artigo e as reflexões e deixem seus comentários:
Abraços! 
Floro

Fonte: Inovações em Educação
As habilidades e profissões que serão tendência em 2030
Estudo feito pel…